0
0
0
s2sdefault

Depois de sofrer por anos com um relacionamento abusivo, a empresária Ana Mendes, 42 anos, conseguiu romper o ciclo de violência doméstica e procurou amparo psicossocial no Centro de Referência de Atenção à Mulher Loreta Valadares, nos Barris. Lá participou de terapia, ioga, biodança, oficinas de empreendedorismo e mais recentemente do curso de Prevenção à Violência no Cotidiano da Mulher, que envolveu aulas práticas de defesa pessoal e roda de conversas.
 
Nesta sexta-feira (28), Ana foi uma das 96 alunas que recebeu o certificado de conclusão da capacitação, durante um evento realizado na sede do auditório do Banco do Nordeste, no Comércio. Fruto de uma parceria entre a Guarda Civil Municipal (GCM) e a Secretaria de Política para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ), o curso de Prevenção à Violência no Cotidiano da Mulher foi realizado durante todo o primeiro semestre do ano no Loreta Valadares e no Centro de Atendimento à Mulher Soteropolitana Irmã Dulce (Camsid), na Ribeira.
 
As aulas aconteceram às segundas, quartas e sextas, tanto para mulheres assistidas nessas unidades quanto para o público feminino em geral. Quatro monitores orientaram os alunos quanto às abordagens de defesa pessoal, primeiros socorros, além de esclarecimentos sobre a Lei Maria da Penha. 
 
“O curso me deu muita confiança, e posso afirmar que minha autoestima está alta. Foi bem prático, bem orientado. Não tinha a mínima noção de como me defender. Cheguei a ser agredida por muitos anos pelo meu ex-marido e tive duas perfurações de tímpanos por conta das agressões. Muitas mulheres que estão dentro do ciclo de violência ainda não conseguiram se desvencilhar porque não sabem que têm apoio, que não estão sozinhas”, relatou Ana.
 
A solenidade de certificação foi dirigida pela titular da SPMJ, Rogéria Santos; pelo inspetor-geral da GCM, Alisson Carvalho; pelo diretor de Segurança Urbana e Prevenção à Violência, Maurício Lima; e pelo coordenador de Ações de Prevenção à Violência, André Rocha.
 
“A cada cinco minutos duas mulheres são violentadas, e a cada duas horas uma mulher morre no país em decorrência da violência desenfreada. Por isso,  foi pensado um curso que pudesse dar a elas a possibilidade de uma autodefesa. Não estamos ensinando artes marciais, nem propagação de nenhum tipo de violência. Mas havendo uma possível agressão, a vítima vai ter a condição de se livrar de imediato daquela situação, para então chamar um familiar ou um vizinho para pedir socorro”, disse Alisson.
 
Rogéria Santos destacou que o curso realizado pela GCM em parceria com a SMPJ faz parte de uma politica preventiva contra a violência. “Estamos ensinado essas mulheres a se prevenirem e a salvaguardarem suas vidas, que é o bem maior. Quanto mais as mulheres forem capacitadas, mais elas ficarão protegidas. É importante que cada uma de nós sejamos multiplicadores, para orientar a amiga, a filha, a vizinha, vítima de algum tipo de abuso, a não se calar e buscar ajuda e apoio”, declarou.
 
O curso de Prevenção à Violência no Cotidiano da Mulher abrirá novas turmas neste segundo semestre. Interessadas em participar da capacitação no Loreta Valadares, onde as aulas começam no dia 18 de agosto, devem ligar para o 3235-4248. No Camsid, as aulas estão programadas para começar no dia 5 de agosto. Para se inscrever, basta entrar em contato com o telefone 3611-6581.
 

Fale Conosco

Enviando...