Fale Conosco

Enviando...
 
 
Mesmo sem ameaças de chuvas ou desastres naturais, a comunidade do Bom Juá, no São Caetano, se manteve alerta na noite desta quinta-feira (23). Os moradores participaram de um simulado noturno de evacuação promovido pela Defesa Civil (Codesal) em parceria com outras autarquias, a exemplo da Secretaria de Promoção Social e Combate a Pobreza (Semps), Guarda Civil Municipal (GCM), Superintendência de Trânsito (Transalvador), Secretaria de Educação (Smed) e Secretaria de Saúde (SMS). A atividade é a terceira realizada pela Codesal no período noturno.
 
A ação teve início às 19h com a mobilização de quatro equipes da Codesal, que circularam em rotas específicas suscetíveis a desastres naturais, após acionamento da sirene de alerta, convocando os moradores a saírem de suas casas e seguirem até a Escola Municipal Antônio Carlos Magalhães, ponto escolhido como apoio aos moradores na localidade.
 
Morando no Bom Juá apenas há vinte dias, Leandro Santos, que veio do interior do Estado, compareceu no simulado para saber de que forma pode se proteger e orientar a família em caso de deslizamentos. “Achei muito bom porque a gente fica sabendo o local certo onde pode procurar abrigo e com quem podemos ter ajuda”, explicou.
 
"Essa ação é o desdobramento de um trabalho que a Codesal já vem realizando. É um simulado, então estaremos aqui mostrando a população como se comportar num episódio de risco, seja alagamento, pois aqui há ocorrência, ou de deslizamento de terra, embora essa área já recebeu uma proteção com geomanta”, afirmou o diretor da Defesa Civil, Sosthenes Macedo. Ele reforçou que Salvador possui 70 geomantas aplicadas.
 
Foram mobilizados para a realização desta ação cem servidores da Prefeitura e 238 famílias. Apenas no Bom Juá, existem 44 moradores voluntários cadastrados, ou seja, que passaram por capacitação junto à Codesal e estão aptos a auxiliar a comunidade quando existir risco eminente de desabamentos na região.
 
Procedimento - A sirene é acionada quando o nível de chuva chega a 150 mm em 72 horas. O processo ocorre com o acionamento da sirene por dois minutos, depois com um intervalo de um minuto, seguindo com a repetição deste ciclo por mais duas vezes, alertando a comunidade dos riscos.
 
No local de abrigo, profissionais da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) aguardam de prontidão para eventuais atendimentos e agentes da Semps simulam cadastro para encaminhamento de moradores a benefícios sociais. Representantes da secretaria orientam, através de uma  palestra, quais os tipos de benefícios que podem assistir aos moradores e esclarecem dúvidas sobre os procedimentos que devem ser adotados para cada necessidade.