A Guarda Civil Municipal já registrou 7.885 atendimentos nos primeiros sete meses de 2017, contra 5.612 atendimentos no mesmo período de 2016. Esse índice corresponde a um aumento de 40,5% se comparado o mesmo período do ano anterior. Entre as atividades exercidas pelo órgão estão proteção sistêmica da população, preservação do patrimônio público, desenvolvimento de ações de prevenção à violência, garantia dos serviços públicos municipais e valorização do cidadão.
 
Além dos atendimentos, o órgão registrou 335 ocorrências - operações com registro de boletim de ocorrência em delegacias ou não. Os principais destaques neste quesito foram encaminhamentos em flagrante (53), apoio a outros órgãos (51), prestação de socorro (37) e acidente de trânsito com vítima (36). As ocorrências deste ano demonstram um aumento de 58,1% em relação a 2016, quando foram contabilizados apenas 212 registros.
 
Dentre as principais solicitações atendidas pela Guarda Civil em 2017 estão atendimentos de proteção aos espaços públicos, com mais de 3.192 atendimentos contabilizados, apoio às ações de ordenamento do comércio informal em conjunto com a Secretaria de Ordem Pública (Semop), que registrou 599 atendimentos, e blitzes de lei seca, ordenamento e fluidez no trânsito, em suporte a Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador), que chegaram a 349 solicitações.
 
“É importante frisar que as nossas ações têm contribuído para a proteção dos equipamentos e colaborado diretamente para garantir a execução das atividades públicas. O número de ações realizadas por nossos agentes supera a expectativa, tanto por quantidade, quanto por qualidade, o que comprova a eficiência e capacidade dos Guardas Civis de Salvador”, pontuou o diretor de Prevenção à Violência e Segurança Urbana, Maurício Lima.
 
Ainda de acordo com Maurício, a Guarda Civil – que conta com 1.230 servidores e tem boa parte do efetivo concentrada nas atividades de proteção do patrimônio público – tem atuado para garantir o funcionamento das atividades desenvolvidas pelo corpo operacional. “Temos intensificado o patrulhamento preventivo, com o intuito de inibir ações e práticas que atentem contra o patrimônio público”, acrescentou.