Na manhã de hoje (30), cerca de 50 agentes da Guarda Civil Municipal de Salvador, entre gcm’s, encarregados, supervisores, coordenadores e gerentes, além do Diretor Geral Maurício Lima e o Inspetor Geral João Neto, participaram do 3º Ciclo Interno de Reuniões Temáticas, denominado Quintas Temáticas, no Auditório do Parque Social, localizado no Parque da Cidade. 

Na ocasião, o Professor e Administrador, Fábio Rocha, ministrou a palestra Líder Executor: Liderando para fazer acontecer. “O tema liderança é secular, muito importante para as organizações. Há uma referência muito grande na prefeitura, que é o Prefeito ACM Neto”, ressaltou o especialista em carreira coach, ao detalhar a importância da estrutura que se vêm após os líderes. “Eu pude verificar que a amplitude da Guarda Civil é fantástica, inclusive com projetos voltados para o educacional e social. Há uma nova construção de relação com a população, onde já começa a se entender que o próprio cidadão é um grande braço direito do órgão para o cuidado com a cidade”, complementou. 

Para o Diretor de Segurança Urbana e Prevenção à Violência, Maurício Lima, a palestra possibilita a cada participante a reflexão e a possibilidade de transferência do aprendizado para a realidade de cada líder. “É bastante interessante a maneira como o Professor Fábio realizou abordagem do tema, possibilitando aos presentes refletir de maneira objetiva dentro da realidade da Guarda Civil”, disse. “Estamos intensificando nossas reuniões temáticas, para além de integrar ainda mais aos agentes, possibilitar acesso a novos conhecimentos e estratégias de suma importância para o dia a dia dos servidores”, completou a Gerente de Desenvolvimento Elza Carolina.  

Segundo o Inspetor Geral da Guarda Civil, João Neto, as reuniões e capacitações para a Guarda Civil estão sendo ampliadas e focadas em conhecimentos voltados para o difícil trabalho desenvolvido pelos agentes. “A Guarda Civil atua diariamente em atividades que precisam de uma liderança firme, com pleno conhecimento do serviço e jogo de cintura, para enfrentar situações de conflitos e adversidades. A rotina dos agentes da GCM não é fácil e requer muito equilíbrio, já que atuar com pessoas que estão presenciando ou sendo alvo de operações de ordenamento e fiscalização é algo que costuma gerar divergências”, concluiu Neto, ao frisar que a GCM já possui mais de 100 agentes que passaram pelo Curso de Gerenciamento de Crises, com a Polícia Federal.