0
0
0
s2sdefault

 

Na tarde de ontem (23), equipes do Grupo Especial de Proteção Ambiental da Guarda Civil Municipal foram acionados para realizar o resgate de duas serpentes. O primeiro caso aconteceu no terreno de uma casa, no bairro da Boca do Rio, quando uma jiboia, medindo aproximadamente 1,5m e pesando 3kg, foi resgatada. O segundo resgate ocorreu na sede da Coelba, em Narandiba, onde uma Jararaca, medindo, aproximadamente 1,20m foi contida. O animal é considerado extremamente perigoso, por conta do veneno.

Segundo o Supervisor do GEPA, Robson Pires, esta especie de serpente peçonhenta é muito comum no município de Salvador e apesar de ser um animal peçonhento, é muito importante na cadeia ecológica do município, além de que seu veneno é alvo de estudos para muitos medicamentos utilizados por seres humanos. Pesquisas conduzidas no Brasil descobriram o potencial do veneno dessas serpentes, o que originou um dos mais populares medicamentos para pressão alta, o Captopril. Atualmente Cientistas do Instituto de Química (IQ) da Unesp, em Araraquara, identificaram no veneno da cobra brasileira Jararacuçu(Bothrops jararacussu)  um peptídeo (pedaço de proteína) capaz de conter a reprodução do novo coronavírus (SARS-CoV-2).

Os animais resgatados foram encaminhados para o Centro de Triagem para Animais Silvestres do Inema, onde os animais irão ter acompanhamento com um biólogo.

A Guarda Civil Municipal alerta que caso encontre um animal silvestre, a população não deve se aproximar do animal e entrar em contato com o órgão, através do telefone 71 3202-5312.

Fale Conosco

Enviando...