0
0
0
s2sdefault

Com o esvaziamento das praias em decorrência do isolamento social necessário para combater o novo coronavírus, alguns animais estão aproveitando o espaço que ganharam nas areias. Para as tartarugas marinhas, esse período tem sido providencial. Quem trabalha na Barra ou mora naquela localidade, mais precisamente na altura do Barra Center, teve a oportunidade de contemplar, na noite de ontem (16), um animal de grande porte depositando seus ovos.

 
De acordo com o Grupo Especial de Proteção Ambiental (GEPA) da Guarda Civil Municipal (GCM), a desova na Barra é atípica, já que o local, em dias normais, costuma ter intenso movimento, inclusive à noite. Comumente, os animais deixam seus ovos nas praias de Itapuã, Stella Maris e Praia do Flamengo, que são ecossistemas tidos como mais desertos. 


De acordo com o engenheiro agrônomo e comandante do GEPA, Robson Pires, além da ausência de pessoas, as praias também estão livres de outras ameaças para as tartarugas, como resíduos plásticos e até mesmo as luzes noturnas – que confundem filhotes no retorno ao mar. 

Segundo ele, a espécie que desovou ontem na Barra deve ser um animal adulto, com mais de 30 anos, e possivelmente enterrou uma quantidade de ovos que pode variar de 120 a 180. “Aqui em nosso litoral desovam três tipos. A cabeçuda, a tartaruga de pente e a oliva ou tartaruga verde”, explica.

Equipes do GEPA e do Projeto Tamar pretendem visitar o local na tarde desta quarta-feira (17) para tentar localizar os ovos. Assim que forem encontrados, serão encaminhados para o projeto Tamar e colocados em local apropriado e seguro. Em caso de ocorrências ambientais, é possível acionar o GEPA, através do telefone 71.3202-5312.

Fale Conosco

Enviando...